O Treino de Habilidades Sociais na Graduação de Psicologia como Estratégia de Desenvolvimento do Repertório Clínico

Segundo Magalhães (2003) um desempenho profissional competente em Psicologia requer o domínio de diversas habilidades sociais (HS), como: habilidades técnicas de coleta e síntese de informações e de domínio de métodos de pesquisa e de habilidades estatísticas; habilidades analíticas de raciocínio e pensamento crítico, questionamento, avaliação e julgamento; habilidades interpessoais de trabalho, como habilidades de coordenar grupos, falar em público, resolver problemas, tomar decisões, mediar conflitos e promover o desenvolvimento e a aprendizagem do outro.  E ainda, que os psicólogos utilizem muito das relações interpessoais em seu trabalho, sendo exigidos a desenvolver HS, sob pena de insucesso na profissão.

Num estudo realizado por Del Prette; Del Prette e Caballo (1992) Estudantes de Psicologia foram convidados a participar da intervenção por meio de cartazes que foram distribuídos por todas as áreas da universidade. As inscrições foram realizadas pela secretaria do Centro de Estudo Pesquisa e Prática Psicológica da universidade e apresentadas quatro opções de horários para que os estudantes escolhessem o que melhor se adequava à sua disponibilidade. Foram agrupados todos os estudantes que escolheram o mesmo dia e horário, formando-se, assim, 4 subgrupos de intervenção. Destes, três subgrupos foram compostos com três participantes e um subgrupo com quatro participantes. 

O comportamento socialmente competente ou habilidoso é um conjunto de comportamentos emitidos por um indivíduo em um contexto interpessoal que expressa seus sentimentos, atitudes, desejos, opiniões ou direitos, de um modo adequado à situação, respeitando esses comportamentos nos demais. Esse repertório geralmente soluciona os problemas imediatos da situação e diminui a probabilidade de futuros problemas (Caballo, 1996/2002).

Dado o impacto negativo dos déficits sobre a saúde e a qualidade de vida das pessoas, elas podem desenvolver diversos sintomas físicos de ansiedade como rubor facial, palpitação, tremores, desconforto gastrointestinal, tensão muscular e, ataques de pânico, bem como em seu funcionamento social, laboral e acadêmico, podendo ocasionar maior chance de uso abusivo de álcool e outras drogas Caballo (2003). Por isso, intervenções têm sido desenvolvidas nesta área com a denominação geral de Treinamento de Habilidades Sociais (THS).

O THS consiste no ensino direto e sistemático de habilidades interpessoais.

  • Prevenção Primária
  • Secundária
  • Terciária

A fim de desenvolver as habilidades divididas em 5 grandes fatores:

  • Fator 1. Enfrentamento e Auto-afirmação com Risco;
  • Fator 2. Auto-afirmação na Expressão de Sentimento Positivo;
  • Fator 3. Conversação e Desenvoltura Social;
  • Fator 4. Auto-exposição a Desconhecidos e Situações Novas;
  • Fator 5. Autocontrole da Agressividade

Como já relatado, essas habilidades são imprescindíveis a qualquer Psicólogo (a), por isso a importância da investigação desse tipo de repertório. No Brasil, investigações sobre as possíveis diferenças no repertório de HS de estudantes de início e de término de curso têm sido desenvolvidas. Em estudo realizado com 218 alunos de três cursos diferentes: Psicologia, Serviço Social e Engenharia Mecânica, do início e final do curso e que foram selecionados de forma aleatória, os dados mostraram indicadores semelhantes de competência interpessoal, sem diferenças significativas entre novatos e veteranos, no que se refere ao desempenho das Habilidades Sociais. Esses dados sugerem que essas habilidades podem estar sendo desconsideradas como requisitos da formação profissional de psicólogos ao longo do percurso acadêmico (Del Prette, Del Prette & Castelo Branco, 1992)

  • Como implementar o THS durante o curso de Graduação 

Para o desenvolvimento de Habilidades Sociais, ainda na graduação de Psicologia, sugere-se, além de embasamento teórico sobre o tema dentro da grade curricular do curso, sessões e aulas, com periodicidade semanal, incluindo temas relacionados à: como lidar com as emoções, práticas parentais, processo de mudança, autoestima, defesa de direitos interpessoais, estilos de comunicação, falar em público, comunicação empática, elogio específico, lidar com críticas e manejo da raiva. Contribuindo, assim, para a formação profissional e pessoal dos psicólogos.

Referências

Caballo, V. E. (2003). Técnicas de avaliação das habilidades sociais. Em V. E. Caballo (Org.), Manual de avaliação e treinamento das habilidades sociais (pp. 113-180). São Paulo: Editora Santos.  

Del Prette, A.; Del Prette, Z. A. P. e Castelo Branco, U.V. (1992). Competência social na formação do psicólogo. Paidéia: Cadernos de Educação, 2 (fev.), 40-50.    

Magalhães, P. P.; Murta, Sheila G. Treinamento de habilidades sociais em estudantes de psicologia: um estudo pré-experimental. Temas psicol.,  Ribeirão Preto ,  v. 11, n. 1, p. 28-37, jun.  2003 .   Disponível em <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-389X2003000100004&lng=pt&nrm=iso>. acessos em  27  set.  2019.


0 0 votes
Article Rating