Boteco Behaviorista 54 – Inteligência

O estudo da inteligência pela psicologia é frequentemente baseado em modelos e teorias estranhas a uma perspectiva comportamental, o que se reflete nos diferentes testes e índices considerados adequados para a medida da inteligência. Isso não quer dizer, contudo, que analistas do comportamento nada tenham a dizer a respeito.

Como o analista do comportamento compreende a inteligência? Como se mede a inteligência? Seria possível um diálogo entre análise do comportamento e psicometria? Como construtos de base comportamental, como a teoria das molduras relacionais e o paradigma da equivalência de estímulos, poderiam auxiliar nesse diálogo?

Essas e outras questões foram assunto do Boteco Behaviorista, com a participação de dois experts no tema: Laura Rabelo (UFSCar) e Roberto Veloso (UFPR).

Arte: Felipe Epaminondas

Texto: César Alves da Rocha

PARTICIPANTES:
César Rocha
Felipe Epaminondas
Laura Rabelo (UFSCar)
Marcela Ortolan
Roberto Veloso (UFPR)

0 0 vote
Article Rating
Avatar

Escrito por Priscila Meireles Guidugli

Graduada em Psicologia, Mestra e Doutoranda em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem pela UNESP - Bauru. Especialista em Psicoterapia Breve pelo Instituto Ampliatta. Membro do LADS (Laboratório de Aprendizagem, Desenvolvimento e Saúde) da UNESP – Bauru. Atua nas áreas clínica e escolar atendendo todas as idades, com experiência em dificuldades de aprendizagem e problemas de comportamento infantis, transtornos globais do desenvolvimento, incluindo autismo, além de transtornos psiquiátricos relacionados à ansiedade e depressão.