Dica de leitura: Aquisição de competências na implementação da metodologia de análise funcional

O estudo de Iwata, Wallace, Kahng, Lindberg, Roscoe, Conners, Hanley, Thompson e Worsdell (publicado em 2000 no JABA) considera que a metodologia de análise funcional é uma ferramenta de avaliação poderosa para identificar contingências que mantêm uma ampla gama de distúrbios de comportamento e para o desenvolvimento de programas de tratamento eficazes. No entanto, foram levantadas dúvidas sobre a viabilidade da realização de análises funcionais em ambientes de serviços típicos. Neste estudo, os autores examinaram a questão da aquisição de habilidades na execução análises funcionais, avaliando um programa de instrução destinado a estabelecer um conjunto básico de competências. Os resultados sugerem que as competências básicas para a realização de análises funcionais podem ser adquiridas rapidamente por indivíduos que têm relativamente pouca experiência clínica, ou seja, é possível (e viável) investir no treinamento, seja de pais ou professores, por exemplo.

Texto obrigatório para quem quer entender um pouco mais sobre Análise Funcional! Boa leitura!
[button link=”http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1284237/” size=”medium” target=”new” color=”default”]Acessar[/button]

5 1 vote
Article Rating
Avatar

Escrito por Priscila Meireles Guidugli

Graduada em Psicologia, Mestra e Doutoranda em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem pela UNESP - Bauru. Especialista em Psicoterapia Breve pelo Instituto Ampliatta. Membro do LADS (Laboratório de Aprendizagem, Desenvolvimento e Saúde) da UNESP – Bauru. Atua nas áreas clínica e escolar atendendo todas as idades, com experiência em dificuldades de aprendizagem e problemas de comportamento infantis, transtornos globais do desenvolvimento, incluindo autismo, além de transtornos psiquiátricos relacionados à ansiedade e depressão.