Dica de leitura: Uma Abordagem Funcional para os Comportamentos Delirar e Alucinar

Os comportamentos de delirar e alucinar são muito discutidos na Psicologia e na Psiquiatria, é recorrente falar desses conceitos em casos de esquizofrenia, por exemplo. Mas como seria analisá-los pela ótica Behaviorista Radical? O artigo de Bueno e Britto (2001) trata de uma abordagem funcional baseada nos pressupostos skinnerianos para lidar com esses comportamentos.

RESUMO: O presente artigo busca discutir duas categorias psiquiátricas, delírios e alucinações, tradicionalmente descritas como sintomas de transtorno psicótico, com o conceito de comportamento orientado pelo behaviorismo radical de B. F. Skinner. O artigo inicia com a visão da Associação Americana de Psiquiatria, a qual procura descrever essas categorias como sintomas positivos de esquizofrenia e suas repercussões. Uma abordagem funcionalista para os comportamentos de delirar e alucinar são consideradas em alguns importantes detalhes. Os conceitos de visão e audição condicionada são discutidos como experiência comum. Finalmente, considerações são dadas para as implicações dos efeitos desses tipos de comportamentos-problema e sugestões para lidar com eventos dessa natureza no contexto clínico são oferecidas.

Se interessou? Clique aqui e leia o texto completo:

[button link=”http://www.usp.br/rbtcc/index.php/RBTCC/article/view/458/338″ size=”medium” target=”new” color=”default”]Acessar[/button]

0 0 vote
Article Rating
Avatar

Escrito por Priscila Meireles Guidugli

Graduada em Psicologia, Mestra e Doutoranda em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem pela UNESP - Bauru. Especialista em Psicoterapia Breve pelo Instituto Ampliatta. Membro do LADS (Laboratório de Aprendizagem, Desenvolvimento e Saúde) da UNESP – Bauru. Atua nas áreas clínica e escolar atendendo todas as idades, com experiência em dificuldades de aprendizagem e problemas de comportamento infantis, transtornos globais do desenvolvimento, incluindo autismo, além de transtornos psiquiátricos relacionados à ansiedade e depressão.